#lei

O desconhecido tem destino também

Era uma vez ...porque começam todas assim? A minha vai ser diferente. Infelizmente onde vivo não posso informar, também sou forçada a dizer que não existo (teoricamente sou fruto de sua imaginação). Meus primeiros passos no instituto ou as primeiras impressões do desconhecido, que recordo admito que ainda me encontrava na famosa adolescência numa década que agora não me recordo.

Já vou avisando que não sou misteriosa e sim arranjei um pouco de encrenca. Vamos começar logo(meus pensamentos só entre nos ok eles são confusos certo, pronto já concordamos em algo).

Minha mãe ao meu lado(para dar aquela forcinha “não tem como fugi”, a também pra fala a famosa frase “vai da tudo certo” realmente essa e uma das mais famosas e ingênuas frases que já criaram) a sim ela aparenta ser mais uma adolescente mimada e rebelde do que realmente minha mãe. Com seus cabelos ruivos e suas sardas que a deixam fofa, mas que também a destaca em uma multidão principalmente se olharem em seus olhos que sinceramente aparentam ser o céu mais azul que você poderia ver em sua vida, com suas tatuagens e seu jeito de moda extremamente “diferente” (e a melhor palavra para descreve-la sinceramente).

Acabando as descrições, vou informando que não sou a filha exemplar não.

Minha mãe me puxa para entrada daquele calabouço (não que seja na verdade é mais uma mansão, realmente o instituto DDU). Voltando para o meu momento rebelde. Puxa meu braço e digo:

-Porque tenho que morar aqui! Quero meus amigos meu antigo colégio! (Digo olhando com um olhar que assustaria qualquer um menos ela)

-Não vou voltar mais nesse assunto Eliza! Agora vamos se não vamos nos atrasar! (Diz minha mãe fingindo estar brava)

Sou puxada pelo resto do caminho já sem forças para protestar. O pior é que dentro é mais majestoso do que a entrada desse meu novo “lar”. A sim! este e um colégio especial que meus pais encontraram não sei como. Apenas me informaram que é para meu bem. Claro que fiz um escândalo como boa mimada que era, e nada adiantou.

A diretora aparentando mais ser uma modelo que deixaria qualquer um de queixo caído, não sou exceção (até eu a achei linda de morrer, exagerei mas é verdade gente, essa é uma daquelas mulheres que você só imagina tamanha perfeição).

Minha mãe logo me retira de meus pensamentos que confesso ser melhor do que realmente entrar nesta conversa.

Ela me diz em meus pensamentos que irei ficar bem (desculpe esqueci de informa que somos telepáticas, e não entendo inteiramente a história por trás desse “dom”, dormi quando vovó contava, não ria e a verdade).

Depois desse momento realmente nada divertido em que minha querida mãe me larga nesse calabouço, já se passaram uma semana e não consigo acreditar que esta escola só e feita de loucos. Todos com dons diferentes, mas sempre com alguma dificuldade para se socializar, pelo menos não como me recordo que as pessoas normais fazem, me lembrei que também não sou realmente normal, posso dizer que agora realmente não me acho nada normal. Depois de uma semana nessa escola já não consigo mais controla meus dons que surgem novos a cada três dias.

E meus professores só dizem “não tente evita-los você faz parte da organização de um jeito ou de outros eles virão”.

Nossa história e simples vivemos para defende-los ( sim estou aqui te contando isso não sei porque mas são vocês seres humanos “incríveis” estou sendo sarcástica, mas vocês são a base da minha sobrevivência baby) de quem quer roubar o que mais nos faz fortes acredite se quiser o amor.

Guerras e mais guerras travadas para você poder senti-lo. E mesmo assim vocês desconhece nossa existência. Fomos criados pelo maioral(o chefão pelo menos meu chefe legal né, eu aqui me descobrindo pode-se dizer e ganho dinheiro já “uhul!”) para protege-los e nós nascemos entre vocês(sim você pode ser um de nós), crescemos e só depois vamos para a instituição (ou a mansão), simplesmente um dia teus pais te informam que vocês fazem parte do instituto universal e galático DDU(Destino do Desconhecido em União, não ria eu apenas me conformei).

Poderia ser pior vocês poderiam ser o inimigo mas ai trema, chore, sinta medo pois eu falo por mim quem quiser destruir oque eu defendo (a minha família, o amor, a alegria de um simples sorriso, sei que é clichê mas e o meu clichê), “ terremotos, crateras existem por uma razão( a gente não e tão discretos, mas fazemos o possível).



198





Acesse

Oferecimento


© 2016 Contaí. Todos os direitos reservados ao CEM Ir. Acácio | Desenvolvido por Ponks Software Development