#lei

O tesouro perdido de Kyr

Em 1736, em uma pequena cidade no litoral da Europa chamada Kyr, um grupo de piratas aterrorizava a população por serem extremamente violentos e por causarem medo até naqueles que tinham o dever de proteger a cidade, o líder deste grupo, Capitão Willian Killer, chamava sua tripulação de Thieves.

Os Thieves viviam no mar, mas sempre que iam para a costa causavam um caos na cidade, roubavam casas, bares e pequenos bancos, eram destemidos, pois seus armamentos eram superiores aos armamentos dos guardas, que nada podiam fazer.

Por muitos anos a cidade foi aterrorizada por esses piratas até que em um dia a população junto aos comerciantes e bancários resolveu enviar todas as suas riquezas para um grande banco que ficava em outra cidade chamada Tweet para que seus bens fossem guardados em segurança, o dinheiro foi levado de uma cidade a outra tranquilamente, pois os piratas estavam no mar.

A paz havia retornado na cidade de Kyr, pois havia muito tempo que os piratas não voltavam para a costa, as crianças podiam brincar livremente sem medo, os homens podiam ir trabalhar com segurança, as mulheres podiam ficar tranquilas, pois sabiam que suas casas estavam seguras sem os piratas.

Muitos dias se passaram, os piratas voltaram violentos e gananciosos como nunca, o motivo deles não voltarem à costa antes é porque enfrentaram um mar muito agitado e haviam perdido todos seus suprimentos, o Capitão Willian estava ficando com muita raiva, pois não estava encontrando dinheiro algum na cidade. Desconfiado, ele ordenou que seus comparsas sequestrassem todas as crianças e levassem para a praça central da cidade onde todas seriam executadas, assustados e preocupados com seus filhos, os adultos se reuniram e decidiram dizer ao Capitão Willian para onde haviam enviado o dinheiro. Ao saber da localização do dinheiro, Willian libertou as crianças e armou um grande plano para roubar o banco de Tweet, onde havia uma enorme quantia de dinheiro, ouro, joias e outros objetos de valor.

O Capitão Willian ordenou que os Thieves roubassem o máximo de coisas possíveis e que não deixassem testemunhas. A invasão no banco foi um massacre, todos os guardas morreram e os Thieves conseguiram levar toda a quantia de dinheiro e jóias; três navios foram carregados com objetos de valor e o Capitão e sua tripulação partiram para o mar.

Os piratas pararam em uma ilha isolada para que pudessem comemorar o grande roubo, todos os tripulantes se embebedaram com rum, mesmo assim Willian ordenou que os piratas voltassem ao mar, ainda bêbados eles partiram. Como já estava à noite, e todos estavam bêbados, ninguém percebeu que o mar estava muito agitado, os três navios naufragaram, afundando com todo o tesouro e matando toda a tripulação inclusive, o Capitão Willian Killer.

As únicas pistas que foram deixadas para trás foram àquelas garrafas de rum consumidas na ilha.

2005- Inglaterra

Harry, professor de história em uma faculdade, e seu melhor aluno, Taylor, estavam lendo livros que contavam histórias sobre o Capitão William Killer, ambos eram apaixonados por aventuras e piratas. Quando terminaram de ler o livro, Harry ficou muito entusiasmado com os rumores de um de que um imenso tesouro teria naufragado no mar junto com a tribulação de Willian Killer e que havia grandes chances desse tesouro ainda estar lá.

Harry estava convencido de que iria atrás desse tesouro e convidou Taylor para acompanhá-lo, como também era apaixonado por aventuras, Taylor decide acompanhar seu professor e agora seu companheiro de viagem. Harry também chama seu irmão gêmeo Frank, que era dono de uma pequena empresa de turismo. Todos estavam de férias, mas não sabiam onde começar a busca, então eles pegaram diversos mapas e livros antigos para que pudessem ter um ponto de partida.

Foram longas horas de análise até que todos decidiram que o melhor lugar para começar a busca era a cidade onde os piratas costumavam freqüentar e saquear, Kyr.

Todos arrumaram suas malas, pegaram suprimentos, mapas, livros, textos que poderiam servir como pistas e partiram para Kyr com um pequeno avião turístico de Frank. Quando chegaram a Kyr, perceberam que a cidade havia se transformado em um pequeno vilarejo com poucos habitantes. Todos estavam exaustos da longa viagem que haviam feito, então a primeira coisa que fizeram foi arrumar um local para descansarem e poderem recomeçar a busca logo na manhã seguinte, quando todos estivessem mais descansados e dispostos. Eles encontraram uma pequena pousada de um morador local chamado Francis que logo arrumou quarto para que os novos turistas pudessem passar a noite, como estavam muito cansados, Harry, Taylor e Frank foram direto para cama dormir.

Na manhã seguinte os três foram conversar com Francis para saber se ele sabia de alguma coisa sobre o tesouro, Francis era o morador mais antigo de Kyr, quando ele era criança sempre ouvia historias envolvendo piratas e tesouro, mas com o passar dos anos as historias foram perdendo a crença dos moradores até ser deixada de lado. Ele era criança na época que essas histórias eram mais comum, por isso ele não se lembrava de quase nada, mas disse para Harry ir perguntar para o povo da cidade vizinha, Tweet, onde os piratas supostamente tinham cometido o grande roubo.

Ao chegar a Tweet, Harry, Taylor e Frank se separaram para que pudessem, com mais rapidez, conversar com o máximo de pessoas possíveis, ninguém da cidade sabia alguma coisa sobre o tesouro do Capitão William Killer, mas eles descobriram que havia um velho pescador em Kyr que era descendente de um dos tripulantes da frota naufragada de William Killer e que se existisse alguém no mundo que saberia alguma coisa sobre o tal tesouro, seria ele.

Harry, Taylor e Frank decidem voltar à pousada de Francis, pois já estava de noite. Frank comenta com Francis sobre o tal pescador que poderia saber da localização do tesouro e pergunta se Francis saberia quem seria esse misterioso pescador.

- Conheço sim! Ele é louco, nunca vem pra cidade, só vive no mar e em sua imunda cabana, o nome dele é Alfred, o bisavô dele participava dos Thieves, dizia que era um homem de confiança do Capitão William, tente falar com ele, mas lembre-se: ele é louco e não costuma conversar com outras pessoas.

Frank foi para o quarto e avisou Harry e Taylor sobre o pescador e seu bisavô amigo do Capitão William Killer, Harry decide ir tentar conversar com Alfred ao amanhecer.

No dia seguinte, logo após acordarem, Harry, Taylor e Frank vão para a cabana de Alfred para tentar conversar e para arrumar pistas sobre o paradeiro do tesouro. Ao chegarem à cabana, eles percebem que ela estava vazia e decidiram esperar por Alfred. Alguns minutos depois Alfred chega com cara de bravo e com raiva, pois ele pensava que estava sendo roubado, após algumas discussões, eles entram em um acordo e Alfred concorda em contar um pouco da história de sua família.

- Meu bisavô viu seus pais morrerem com apenas sete anos, o Capitão William o adotou e o criou como se fosse um filho, ele foi crescendo e, tendo o Capitão William como exemplo, acabou aprendendo como ser um pirata, ele viajava pelos mares junto da tripulação do Capitão William. Em uma de suas inúmeras paradas em Kyr, engravidou minha bisavó. Minha mãe nasceu e, sempre que podia, ele ficava com minha bisavó e minha mãe, mesmo ele sendo um pirata, sempre às respeitou e tratou bem até morrer no naufrágio. Minha mãe cresceu, conheceu meu pai e engravidou de mim; quando eu nasci sempre ouvia histórias da minha mãe sobre meu bisavô, e que um dia seria eu quem encontraria as riquezas dos Thieves. Minha mãe dizia que eles tomaram inúmeras garrafas de rum em comemoração pelo roubo que haviam feito em Tweet, em uma ilha próxima à costa. Eu encontrei a ilha, mas muitos anos de escavações não renderam em nada além de várias e várias garrafas velhas e vazias de rum, se eu soubesse alguma coisa a mais sobre meu bisavô, algum mapa ou bilhete, com certeza eu encontraria o tesouro, mas não sei de mais nada.

Ao perceber que Alfred não era nenhum homem louco, Harry decidiu contar o que sabia sobre o tesouro do Capitão William:

- Eu li em diversos livros que após o roubo, William e sua tripulação encheram três navios com objetos valiosos e foram para uma ilha comemorar, mas quando eles saíram da ilha, os navios afundaram com a força do mar. Se você nos ajudar a chegar à ilha, podemos dividir o tesouro com você.

Alfred aceita a proposta de Harry e combina de levá-los à ilha ao nascer do sol.

No dia seguinte, todos acordam bem cedo e vão para a cabana de Alfred, carregam um barco com os equipamentos e partem em direção à ilha.

Uma hora depois, eles chegam à ilha e encontram centenas de garrafas de rum espalhadas pela ilha, mas nada de pistas sobre o tesouro de Willian Killer. Todos estavam desolados por não encontrarem nada. Taylor resolve analisar uma das garrafas e descobre que elas foram fabricadas em uma cidade do outro lado do oceano chamada Ehras, há centenas de quilômetros de onde eles estavam. Eles voltam para Kyr com uma garrafa para ser analisada, descasaram e no dia seguinte logo cedo foram com o avião de Frank para Ehras.

Quando chegaram, todos foram ao bar da cidade para conversar com o dono e perguntar se ele sabia de alguma coisa sobre as garrafas ou sobre o Capitão William Killer, Adam, dono do bar, diz que o bar está na família a várias gerações, e que já tinha ouvido falar sobre as histórias do Capitão Willian Killer, sobre as garrafas, ele diz:

-Temos várias garrafas como essa em nosso porão, é uma bebida fabricada aqui mesmo, receita de família passada de gerações em gerações, meu avô dizia que quando ele era pequeno e seu pai cuidava do bar, um grupo de piratas vinha ao bar só pra pegar as bebidas, eles levavam todo o estoque, pelo menos pagavam.

Harry senta-se à mesa para tomar umas doses com seus amigos e para discutirem sobre o paradeiro do tesouro. Eles pegam um mapa e traçam uma linha da possível rota feita pelos navios piratas entre Kyr e Ehras e chegam à conclusão de que os navios naufragaram em algum lugar por ali. Após algumas horas de discussão sem nenhuma conclusão, Taylor questiona:

-Se os piratas estavam bêbados ao saírem da ilha, provavelmente não conseguiram ir tão longe, os navios estavam muito pesados e devem ter afundado rapidamente quando naufragaram. Os navios devem estar próximos da ilha.

Todos concordam com Taylor, e muito ansiosos, vão para o avião para seguir viagem de volta à Kyr. Já em Kyr eles entram no barco de Alfred e começam a vasculhar o território ao redor da ilha em busca de pistas, mas já estava escurecendo, então resolvem continuar a busca no dia seguinte, Alfred volta para sua casa e Harry junto com Taylor e Frank volta para a pousada de Francis.

Harry mal consegue dormir de tão entusiasmado que estava com a possibilidade de encontrar todo o tesouro, Taylor sonhou a noite inteira que estava juntando sua pilha de tesouro e voltando para a Inglaterra, Frank ficou imaginando sua pequena empresa de turismo se transformando em uma das maiores empresas do mundo.

Na manhã do dia seguinte todos acordam bem cedo e foram para a cabana de Alfred com tudo arrumado para que as buscas pudessem se iniciar o mais rápido possível. Longas horas de busca não haviam resultado em nada até que Frank, com ajuda do sol, consegue ver algo brilhando no fundo do mar, ele e seu irmão colocaram o equipamento de mergulho e mergulharam para ver o que era aquele objeto, quando chegaram ao fundo do mar, descobriram que o tal objeto era uma moeda de ouro de 1736, o mesmo ano que o Capitão William Killer havia roubado o banco de Tweet. Lá do fundo conseguiram ver uma enorme caverna localizada em baixo da ilha, eles voltaram para o barco e contaram o que viram para Alfred e Taylor, abasteceram o tanque de oxigênio e voltaram para vasculhar a caverna. No fundo da caverna eles encontram os três navios do Capitão William Killer carregado de baús com moedas de ouro, jóias e outros objetos de valor. Agora só restava saber como levar todo aquele tesouro para a terra firme.

Após algumas discussões eles decidiram que com um barco maior e uma rede resistente seria tranqüilo trazer os baús à superfície. Ao chegarem de volta a Kyr, Harry e seu irmão foram atrás de alguém que poderia alugar um barco maior, enquanto Taylor e Alfred compravam a rede. Com o barco e à rede á disposição, só restava esperar o dia seguinte, pois já estava escurecendo. A noite foi longa, todos estavam ansiosos para poder trazer todo o tesouro para a superfície.

Na manhã seguinte, após arrumarem tudo, eles foram para a ilha. Alfred e Taylor ficaram no barco enquanto Harry e Frank desceram para colocar os baús na rede, dois navios estavam mais próximos da saída da caverna, o que possibilitou que os baús fossem recolhidos com mais facilidade, o navio que estava mais ao fundo da caverna era o do Capitão Willian Killer; eles decidiram levar os baús e depois voltar para poder exploram o navio.

Espalhados pela caverna e pelos navios havia muitos corpos dos tripulantes, mas um deles, que estava no terceiro navio, chamava mais atenção pelas roupas que ainda restavam, pelas jóias espalhadas pelos dedos, colares e dentes de ouro, tratava-se do corpo do Capitão Willian Killer, o lendário pirata que aterrorizava os lugares por onde passava. Harry e Frank, ambos muito felizes, voltam à superfície com o resto do tesouro e se juntam a Alfred e Taylor no barco.

Todos estavam felizes, pois agora com toda essa quantidade de riquezas poderiam concretizar tudo o que eles sonhavam em ter e que pela dificuldade econômica dificilmente poderia acontecer.

Os tesouros foram divididos igualmente para os quatro, Frank investiu em sua empresa de turismo e tornou-a uma das maiores do mundo; Taylor continuou estudando, se tornou professor de história e agora acompanha Harry, que se tornou um dos maiores caçadores de tesouro do mundo; Alfred infelizmente morreu enquanto navegava pelo mar, mas como um bom pirata, antes de morrer, ele havia escondido seu tesouro e espalhado algumas pequenas pistas para que alguém com espírito aventureiro pudesse encontrar.



309





Acesse

Oferecimento


© 2016 Contaí. Todos os direitos reservados ao CEM Ir. Acácio | Desenvolvido por Ponks Software Development