#lei

Llih Tnelis

Numa cidade muito pequena chamada Llih Tnelis moravam cerca de 500 pessoas e havia uma escola que conseguia atender todas as crianças da cidade.

Uma família chegou recentemente de mudança e foi muito bem recebida pelas pessoas locais, a filha mais nova logo é matriculada na escola, o nome dela é Samanta, possuía cabelos longos e um estilo bem gótico.

No seu primeiro dia de aula ela acorda, toma café da manhã, se troca, arruma seu material e vai direto para a escola, que não ficava muito longe de onde seus pais moravam. Ao chegar lá ela percebe que estava atrasada, pois não havia nenhuma pessoa pelos corredores, seus passos se tornam subitamente mais acelerados do que estavam antes e ao chegar em sua classe bate de frente com sua professora, que estava saindo para ir ao banheiro. Calmamente ela entra e o clima no espaço começa a ficar sombrio e inquietante para os outros alunos, Samanta avista apenas uma carteira para sentar, que fica bem no fundo da sala.

É hora do intervalo e ninguém se quer ousou falar qualquer coisa com a aluna nova, todos cochichavam entre si que a novata era muito estranha, pois ela aparentava de forma nítida não se encaixar socialmente. Passado o intervalo ,todos entram e ao final da aula sentem um cheiro muito forte de queimado, a escola estava pegando fogo.

As portas do prédio se trancam e aos poucos cada um foi morrendo asfixiado pela fumaça ou queimado pelo fogo ardente, apenas uma pessoa não estava lá, era Samanta. Logo a escola se enche de pessoas entorno gritando por ajuda.

Uma semana após os habitantes se questionam o porquê de apenas uma criança estar para fora sendo que era pra ela estar junto com os outros alunos ou ao menos dentro do colégio. Uma mulher de cabelos arrepiados com aspecto velho espalha um boato de que a menina possuía poderes desconhecidos dos humanos e que era bruxa. O boato se espalha rapidamente e então a população resolve queimar na fogueira a bruxa, ao amanhecer eles já estavam com a fogueira preparada e logo partem para pegar a menina em sua casa. Os pais resistem ao máximo, mas não conseguem pará-los.

O ato foi consumado, a menina foi sido queimada. A a casa, inclusive a família,  ficou com fama de local de bruxaria.

Os moradores sempre faziam uma reunião no centro da cidade, era um costume, e em uma delas a mãe da vítima grita para todos ouvirem: Vocês iram morrer no inferno e eu amaldiçoo Llih Tnelis para as Trevas.

No anoitecer, uma nevoa cobre Llih Tnelis e monstros surgem do solo aos poucos, cada residência se transforma num manicômio cheio de sangue com pedaços de peles jogados pelo chão e na parede surgem baratas e aranhas, gritos são ouvidos por todo lugar, o massacre mais rápido do mundo e com maior quantidade de pessoas acaba de ser registrado.

Todos em Llih Tnelis haviam sido mortos e dois anos depois, quando o FBI descobriu o caso, chamaram uma bruxa para exorcizar o lugar, pois ninguém mais morou em lá após o ocorrido, essa nova bruxa possuía uma caixa pequena e quadrada que tinha um brilho de deixar cego, essa luz faria com que a maldição da bruxa de antes ficasse armazenada na caixa, e foi isso que ela fez depois da bruxa nova de ter dito palavras que nenhuma pessoa do planeta pudesse entender, parecia ser uma nova língua criada pela mistura de todas as outras existente no mundo.

A caixa foi guardada com segurança num lugar secreto que apenas o FBI tinha acesso, porém a consequência foi que Llih Tnelis se tornou infértil para plantação.

 



304





Acesse

Oferecimento


© 2016 Contaí. Todos os direitos reservados ao CEM Ir. Acácio | Desenvolvido por Ponks Software Development