Contaí | Uma rede dos contos

#lei

Pequenos Detalhes

Maria Antônia é uma doce de menina, cabelos castanhos, sardas no rosto, apenas 13 anos, moradora de uma casa simples do interior do Rio de Janeiro. Desde sempre Maria Antônia foi ensinada a ver a felicidade em pequenas coisas e por esse motivo estava sempre alegre, porque conseguia ver a beleza na simplicidade.

De outro lado estava Bernardo, um garoto lindo, com cabelos castanhos e um par de olhos verdes. Bernardo nasceu em berço de ouro e sempre teve tudo que queria, porém ele nunca estava feliz, o dinheiro não lhe trouxera a felicidade, faltava-lhe algo.

Numa bela manhã ensolarada de domingo, Maria Antônia resolve ir à praia para ver os pássaros e escutar o som das ondas, essas coisas e deixavam muito feliz. Chegando à praia, Maria Antônia logo começou a se divertir correndo atrás das aves, molhando os pés na água, rir sozinha ao deslumbrar a beleza da natureza.

Bernardo estava na mesma praia que Maria Antônia, a poucos metros de distância. A alegria que Maria Antônia chamou a sua atenção, ele não conseguia compreender como ela se divertia tanto com tão pouco. Então ele resolveu ir até ela e lhe perguntar porquê de tanta felicidade.

Quando Bernardo perguntou a Maria Antônia porque ela estava tão feliz, ele não recebeu a resposta que esperava, ele recebeu outra pergunta. Maria Antônia lhe devolverá a pergunta questionando-o sobre por qual razão ela não estaria feliz.

Isso levou Bernardo a refletir por quais motivos aquela menina tão desprovida de bens materiais teria para tamanha felicidade, não encontrando respostas, Bernardo voltou ao local onde Maria Antônia se encontrava e disse que gostaria que ela lhe explicasse. Maria Antônia então abriu um longo sorriso e disse a Bernardo que ela estava feliz por estar viva, por ter olhos para ver, mãos para tocar, ouvidos para ouvir, disse que estava feliz simplesmente por ter uma nova oportunidade.

Bernardo nesse momento compreendeu que o que deixava a menina tão risonha era a gratidão que ela tinha pela vida, e que era essa gratidão que a fazia valorizar cada pequena coisa e transmitir tamanha a alegria. Bernardo agradeceu a Maria Antônia e saiu correndo o mais rápido que pode, mesmo sem saber o nome da menina que mudara sua forma de ver o mundo.

Bernardo só queria enxergar de verdade, abrir os olhos, e foi isso que ele fez, ele correu por aquela praia como se fosse a primeira vez; e era; foi a primeira vez que ele sorriu com o coração, ele viu mais coisas do que costumava, mesmo frequentando aquela praia regularmente, porque pela primeira vez ele observou pequenos detalhes.



127





Acesse

Oferecimento


© 2016 Contaí. Todos os direitos reservados ao CEM Ir. Acácio | Desenvolvido por Ponks Software Development