#lei

Não Quero Crescer

Era uma tarde como qualquer outra. Dentro da casa uma leve brisa corria e na sala, sentada numa cadeira de balanço, uma senhora lia um livro tranquilamente, ate que a porta da sala se abriu e uma pequena de mais ou menos quatro anos correu em sua direção:

— Oi, vovó! - Disse a menina.

— Oi, Lu! Como foi seu dia? - Perguntou a senhora.

— Foi ótimo, vovó. A professora leu uma história, fizemos o dever e depois fomos brincar- Disse a pequena.

— Que legal, Lu - Respondeu a avó.

Logo se seguiu um silêncio, a menina sentou-se no sofá ao lado da avó e começou a observa-la enquanto lia, a menina reparou no seu rosto, em suas mãos e em seu cabelo todo branco, até que perguntou:

— Vó, por que seu cabelo é todo branco?

— Minha querida, é porque a vovó já está mais velha e quando a gente envelhece nosso cabelo fica todo branco - Respondeu a senhora.

— Nossa, ainda bem que eu nunca vou ficar velha! Disse aliviada.

— Mas é claro que vai, é assim mesmo, a gente nasce, cresce e envelhece!

— Oh não, não, por favor, vovó, não! Eu quero ser criança para sempre! -Falou a menina aos berros.

— Mas meu amor, não dá, você não vai ser criança para sempre, você irá crescer - Falou a avó.

— Não, eu não quero! - Disse a pequena muito brava.

A avó não aguentou e começou a rir. Lu só a observava muito séria.

— Isso não tem graça! - Disse a menina.

— Claro que tem. Olha, isso não tem nada de ruim, pelo contrário, é muito bom - Respondeu a avó.

— Não, claro que não. Não quero crescer, não quero envelhecer, não quero cabelo branco, não quero mudar - Falou a pequena.

A avó deu um riso e disse:

— Lu, você nem percebeu, mas desde que você nasceu você cresceu e ficou mais velha.

— Mas eu não quero crescer mais. Está bom assim?

— Ai, mas não tem jeito, eu também já tive a sua idade - falou a avó.

— Você ainda se lembra, vó? — Disse Lu como se sua avó tivesse milhares de anos.

— Claro que me lembro, foi uma fase ótima!

— Por isso eu não quero crescer! Eu sempre tenho razão – respondeu Lu.

A avó continua:

—Mas aí eu cresci mais um pouco e cheguei à fase da juventude e foi muito, muito bom! Foi nessa época que conheci o seu avô - Contou a avó à Lu.

— O vovó?

— É sim! Depois, eu cresci mais um pouquinho e fiquei adulta, comecei a trabalhar como professora e dei aula para crianças da sua idade, logo depois eu me casei com seu avô - Completou a avó.

— E minha mãe nasceu! - Falou a pequena.

— Exatamente! Agora a vovó está envelhecendo, mas viu quantas fases da vida nós passamos? A dica é aproveitar cada uma delas da melhor forma possível.

— Até que parece ser legal essa história de crescer. - Falou a pequena.

— É muito legal! Viva cada fase – Aconselhou a avó.

— Vovó, crescer demora muito? - Perguntou Lu bem empolgada.

— Não! Passa rápido, meu anjo.

— Vó eu quero crescer logo, sabe? Faz muito tempo que eu sou criança, já aproveitei bastante! – Disse a menina.

— Minha pequena, não se apresse, pois crescer acontece. – Disse a avó.



265





Acesse

Oferecimento


© 2016 Contaí. Todos os direitos reservados ao CEM Ir. Acácio | Desenvolvido por Ponks Software Development