Contaí | Uma rede dos contos

#lei

Massacre no bosque Santorskay

Havia uma vila chamada Santorskay, no centro dela se podia ver a igreja mais alta a cerca de 1 km de distância. A 100 metros ao norte existia um pequeno bosque, nele estava uma casa de madeira muito velha.

Ninguém da vila sabia o que tinha nessa casa, quem vivia ou se tinha alguém habitando-a, até porque os que iam para vê-la nunca voltaram para contar.

Às 18 horas, 4 meninos brincavam sempre ao redor da igreja, só que certo dia um deles escutou uma conversa muito estranha do padre com um senhor de capuz preto:

   - Soube que mais um se foi - disse o padre para o senhor.

O menino, confuso, correndo foi contar aos seus amigos, eles sabendo da história logo afirmaram:

   - Isto é culpa daquele lugar que ninguém ousa falar!!!

Os meninos todo santo dia relacionavam qualquer coisa à casa do bosque, fascinados pelo asssunto, decidem acabar com essa lenda assustadora.

Temerosos, ao anoitecer, foram em direção ao norte, chegando lá viram um sombreado de luz vermelha sobre a residência.

   - Parem de ser medrosos, fantasmas não existem - disse o mais velho.

   - Já que fantasmas não existem, então você entra primeiro - retrucou o mais novo.

Em ordem decrescente, do maior para o menor todos, entraram no interior e deparam-se de cara com seres que mais pareciam demônios, logo após, cada um desmaiou em sequência.

   - Aaaaaaahhhhhh - grita um dos meninos assim que acorda.

Tentando controlar o nervosismo e ansiedade ele analisa o seu entorno. Os 3 colegas estavam todos estraçalhados e restava apenas a cabeça, o lugar mais parecia um mini necrotério feito no porão.

   - Pow - um eco enorme varreu sua mente e enfim morreu agonizando pela martelada que o ser inindentificável deu em sua cabeça.

Como eu disse no começo desta história, ninguém jamais voltou para contar os fatos, aí vocês, leitores, perguntam com eu sei disso.  A resposta é simples: Eu sou o demônio que vive na casa de madeira.



3712





Acesse

Oferecimento


© 2016 Contaí. Todos os direitos reservados ao CEM Ir. Acácio | Desenvolvido por Ponks Software Development